07/03/2011

End of chapter



Porquê?

Porque preciso de sentir que está concluído. E que não há pontas soltas. Para que não sobrem assombrações ou espectros impunes.

Sei que isto é difícil de compreender. Somos ensinados a tomar decisões rápidas, a agir por omissão e a resolver tudo com a maior linearidade possível.

Espero que essa sensação de closure surja agora; que não estiquemos este tempo até se tornar uma memória morta-viva. Que possamos respeitar-nos, eventualmente; não agora, mas um dia. Sei que tentei. Às vezes, desesperado. Outras, sabendo que era a pior escolha. Ainda outras, reconhecendo que não devia gastar assim a minha energia. Mas não pude evitá-lo. Agora, que já não resta absolutamente nada, que já nem sequer te reconheço - foram demasiadas coisas que nunca poderei compreender -, posso dizer que só preciso de sentir que este capítulo está, finalmente, encerrado. Seis meses de travessia no deserto e uma tristeza que nunca mais quero carregar aos ombros.

Doeu e ainda dói. Mas preciso de aceitar essa dor-tristeza. E trilhar outro caminho qualquer.