22/10/2010

A one and a two...

Era uma vez um blog. Tinha a mania que era Zen. Mas não era. Era, tão-somente, uma sombra de águas tranquilas. Por isso, esqueci o Zen. Prefiro a arte de divagar e, seja bem vinda, voltou a vontade de escrever. Desta feita, em tom mais confessional, mais aberto, mais trálálá. O mundo não está de maré para bonomias, mas que se lixe. Porque as tristezas também devem ser tolhidas na palavra.

Aqui vai.