18/11/2010

I carry it in my heart


e.e. cummings


i carry your heart with me(i carry it in
my heart)i am never without it(anywhere
i go you go,my dear; and whatever is done
by only me is your doing,my darling)
i fear
no fate(for you are my fate,my sweet)i want
no world(for beautiful you are my world,my true)
and it's you are whatever a moon has always meant
and whatever a sun will always sing is you

here is the deepest secret nobody knows
(here is the root of the root and the bud of the bud
and the sky of the sky of a tree called life;which grows
higher than the soul can hope or mind can hide)
and this is the wonder that's keeping the stars apart

i carry your heart(i carry it in my heart)


Por muito que o leia, nunca conseguirei abarcar toda a largura e densidade deste texto. Acho redutor denominá-lo poema. É uma declaração de amor. É um regozijo e um lamento. É tudo o que nós queremos, como seres humanos, e sonhamos e deliramos e desejamos e alvitramos nas nuvens, como se estivesse atrás de uma porta fechada no trinco, à qual podemos aceder, se fizermos um esforço final. E sempre tão distante. Mas transportamos sempre o coração de alguém no nosso coração. E é isso que nos transforma.

Irresistível.